top of page
  • Foto do escritorkarinedrumond

RulerPhone do iPhone sob o ponto de vista do design de interação

Outro dia li este post sobre o Ruler Phone e estive pensando... Tentando fugir das respostas prontas e isentando o meu próprio senso crítico investi em um raciocínio do tipo "Perai vamos entender esse treco direito, para poder opinar".

Em um mundo onde a cada segundo surge uma nova ferramenta - aplicativo - software, gadgets - estilos de interação, confesso que fica cada vez mais difícil não se render as respostas prontas do tipo "gostei disso/não gostei" "bonito/feio"  "útil/inútil" "ruim/bom".

Mas vamos lá, acompanhem o raciocínio. Usando o Ruler Phone como exemplo...

A qual atividade humana esse aplicativo suporta?

  1. Atividade de medir coisas.

Qual objetivo/meta maior as pessoas estão tentando atingir enquanto realizam a atividade de medir coisas?

Varia de acordo com contexto. Ex:

  1. Medir uma parede para ver se o quadro vai caber na parede;

  2. Medir a área do chão para ver se o tapete que a pessoa viu na loja caberia na sala;

  3. Medir a área do terreno para projetar uma nova casa;

Quem são as pessoas que precisam realizar essa tarefa em seu dia a dia?

Eu agruparia, talvez, por frequência de realização:

  1. Muito frequente: arquitetos, engenheiros, projetistas, marceneiros, artistas, designers de interior... quem mais?

  2. Alguma frequência: donas de casa, pessoas quando fazem mudanças (situacionais)

Quais são as ferramentas disponíveis no mundo para realização desta atividade:

Provavelmente existam outras (até mais precisas), mas conheço essas mais comuns:

  1. Régua

  2. Trena

  3. Fita métrica

  4. Escalímetros

  5. Mãos, braços (?)

  6. Pés (?)

Destrinchando a atividade: Quais são as tarefas necessárias para atividade de medir coisas?

Suponhamos que a maioria das pessoas que realizam essa tarefa, hoje em dia, use a ferramenta "trena".

cenário base: Minha mãe mede muitas coisas aqui no apartamento, principalmente com o objetivo de mudar coisas de lugar e de colocar novos adereços decorativos em casa, como cortinas, tapetes, novo sofá, etc, então pelo o que já observei, o que normalmente ela faz:

As tarefa são subdivididas em outras mini tarefas, mas me concentro nas tarefas chaves:

  1. procura a trena

  2. chama outra pessoa para ajudar a segurar

  3. estende a trena

  4. um segura de um lado e o outro segura do outro.

  5. verifica se a trena está realmente bem alinhada.

  6. verifica o número

  7. anota o número em um papel ou memoriza.

Quais são os possíveis problemas que podem ocorrer para a realização satisfatória da atividade:

  1. a trena sumir junto com os outros vários apetrechos que existem em uma casa;

  2. normalmente exige-se a presença de mais de uma pessoa para realizar a atividade medir objetos grandes (um segura e o outro puxa a trena);

  3. a trena pode desgastar-se, sumir os números, quebrar, estragar;

  4. a pessoa pode perder o papel com a medida anotada ou esquecer-se do número;

Agora sim, chegamos ao ponto, Ufah!:

O RulerPhone dá suporte aos usuários que necessitam medir coisas com frequência, de maneira satisfatória (satisfatório pode ser: útil, eficiente, prazeroso, divertido...)?

Para responder com total segurança: eu entregaria esse treco na mão de um arquiteto/ engenheiro ou na mão da minha mãe mesmo e pediria para usar em uma situação real e aí depois de um tempo usando - a pergunta que não quer calar:

E aí?

Pela descrição do post da para tirar as seguintes conclusões:

Parece minimizar os problemas que podem ocorrer na atividade de medir com trena:

  1. não precisa de ter uma outra pessoa como "suporte" a atividade;

  2. por estar dentro do seu celular a chance de se perder entre as outras tralhas é menor (talvez?)

  3. a pessoa não precisa se preocupar com o anotar a medida em um papel e perdê-lo.

A atividade de medir agora ganha outras tarefas:

  1. achar o iPhone

  2. escolher a opção "Ruler Phone" no menu do celular;

  3. posicionar um objeto do tamanho de um cartão de crédito em frente

  4. tirar uma foto do objeto que se quer medir

  5. e ajustar o enquadramento (é isso mesmo?)

  6. ajustar uma régua virtual

  7. conferir o valor

  8. Salvar(?)

Quais os novos problemas possíveis que podem surgir?

  1. bateria do celular acabar no meio da atividade

  2. e se a pessoa não tiver um objeto do tamanho de um cartão por perto?

  3. se a pessoa precisar medir vários objetos, de uma vez?

  4. qual o grau de precisão?

  5. é mais rápido que a atividade sendo realizada com outras ferramentas?

  6. qual tipo de objeto e em quais situações o aplicativo consegue medir?

Todas essas questões podem ser respondidas, estudando pessoas usando

... Acrescentando as observações do Kenji:

Enfim, para uma análise realmente satisfatória é preciso, antes de tudo responder as perguntas:

  1. Qual o objetivo de design do aplicativo?

  2. Para quem ele foi projetado (usuários alvo)?

  3. Quais características dos usuários e do contexto influenciam o seu uso?

Jeff=">Jeff" Patton="Patton" sobre="sobre" Users="Users" Tasks="Tasks">

Adoraria ler a opinião de vocês...

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page