top of page

Bike pra que te quero?! A experiência de uma novata.

Influenciada por novos estilos de vida e uma vontade sincera de trocar o carro pela bike, pelo menos, nos finais de semana, lá fui eu comprar uma bike. Gente, sinceramente! Mas que dificuldade! Não sabia o desafio que me esperava, mas a motivação era maior (felizmente para as marcas de bike) pois a chance de eu ter desistido era grande. Contei aqui para vocês, alguns dos desafios dessa experiência de usuária: Desafio 1: Qual a finalidade? Onde Quando e Para que será a sua bike? – Essas foram as primeiras perguntas que eu descobri que precisava responder. Sabia que queria uma bike para andar na cidade, nos finais de semana. Mas se eu andar em rua de paralelepípedo, dá certo? E se eu quiser andar no sitio, também continua de pé? Problema: Os sites das lojas e a descrição dos produtos não te auxiliam a resolver estas dúvidas. Por incrível que pareça é extremamente difícil responder a esta pergunta, pode parecer muito óbvio se você já pedala a algum tempo, mas se você, assim como eu tinha como referência a Cicesinha, que ficou guardada no porão da vovó, passou ou passará pelo mesmo dilema. Gente, na década de 80, bike era tudo mais ou menos a mesma coisa, não? (ou era poque eu era criança de mais para ter de lidar com tantas variáveis?) E para complicar não existia nem metade dos recursos tecnológicos de hoje. Marcha? Pra quê? Ou seja, problema: Como pesquisar a melhor bike pela internet se praticamente NENHUM site online se propôem a te ajudar nesta questão? Existem foruns, sites educativos, mas muita informação dispersa e distante do ambiente de decisão de compra, como nos sites das lojas ou das marcas. As descrições são muito técnicas. Ou seja, são focadas em um usuário/ciclista já entendido no assunto. E o cara (ou moça) iniciante? #ficaadica: por que não colocar um FAQ, ou exemplos, descrições do dia-a-dia contando Onde, Quando e Para que essa bike é ideal. Coloque relato de pessoas que compraram, sei lá qualquer coisa mais próxima das dúvidas reais. O site da Caloi tenta melhorar esta questão: Desafio 2: Quanto estou disposta a pagar? Outra perguntinha sem vergonha... Parece simples não? Mas quando você começa a pesquisar descobre que o barato pode sair caro, como sempre. E como manter sua faixa inicial depois de saber que aquela outra logo ali tem x% de incremento na ligadura da parafuseta e aumenta 500% de conforto e estabilidade no asfalto, além de ser mais bonita, ergonômica, durável etc etc et. Aí você já se vê na cilada de querer gastar mais...  Ou seja, furada! O negócio é tentar entender qual a faixa de preço em que você não cai na furada de comprar o barato que sai caro nem de comprar o caro só porque o barato parecia muito simples. E o desafio mora aí. De novo os sites destes produtos e das lojas de bike não te ajudam nisso. #ficaadica: Loja de bike, me mostra, por favor a faixa de preço que faz mais sentido para o TIPO de bike que eu preciso. O vendedor da loja presencial tenta te ajudar nisso, mas porque não transferir esse conhecimento para a ferramenta de compra? Os sites de comparação de preço só te auxiliarão se você souber responder a pergunta 1 e 2 e mesmo assim já tiver com uma marca e modelo em mente. Desafio 3: Onde comprar? Essa foi mais fácil. Perguntei no twitter e recebi um monte de dica legal. A mais bacana foi do @r_diniz que mandou esse link http://goo.gl/maps/XQ4l. com a localização das lojas de BH no Google Maps. Fui em umas três lojas de BH, escolhi a que tinha melhor condições de pagamento. Quando fui às lojas, percebi a importância que as pesquisas na internet tiveram na minha decisão de compra. Por melhor que seja o vendedor, eles ainda sim estão muito ocupados com outros clientes e nem sempre conseguem tirar todas as dúvidas, além de infelizmente e de novo utilizar muitos jargões técnicos, o que pode intimidar muita gente iniciante. Desafio 4: E agora? Segurança? Acessórios? Quais? Onde? Depois da compra os desafios continuam. Quais são os acessórios de segurança obrigatórios? E os opcionais? E os que combinam com meu perfil? #ficaadica: Por que as lojas não se inspiram na Amazon e criam sistemas para continuar dando apoio e suporte ao consumidor pós compra? Ajudando e orientando sobre os próximos passos, dando dicas, enfim, criando uma experiência melhor e satisfatória para ambos? Enfim... há muito o que se trabalhar na experiência de lojas e marcas de bikes. Ainda precisam entender melhor a experiência do consumidor novato, que tem muitas dúvidas. Se elas conseguirem facilitar essa experiência, todos nós agradecemos, pois só temos a ganhar com menos carros e mais bikes circulando em nossa cidade. ps.: me concentrei em contar os desafios mais importantes, sem mencionar outros como: bike nova x bike usada, tamnho da bike ideal para você, tamanho do selim, tamanho do quadro etc etc etc... E você, concorda?

0 visualização0 comentário
bottom of page